Desenvolvimento: 3 dicas pra começar

Oi, gente! Tudo certo?

Eu sou o Vi e trabalho aqui na Eureca com desenvolvimento pessoal e profissional. Já facilitei em empresas como a Nike, Roche e TetraPak. Então alguns de vocês já podem ter me visto por aí facilitando conteúdos ou processos seletivos :blush:

Quando comecei a trabalhar com desenvolvimento aqui na Eureca, isso partiu de uma vontade muito genuína minha de querer ver outras pessoas passarem pelas experiências que eu passei e que me tornaram quem sou hoje. Nada me deixa mais feliz do que presenciar a evolução dos outros :heart_eyes:

E tô aqui porque quero trocar uma ideia com vocês justamente sobre desenvolvimento! Às vezes a gente vê tanta coisa, assuntos e oportunidades pra se desenvolver que não sabe nem por onde começar hehe. E é disso que queria falar com vocês! Por isso, fiz um resuminho aqui de três dicas pra quem quer se desenvolver e não sabe por onde começar!

#1: Temos que falar da pressão para evoluir :grimacing:

A quarentena veio para ficar e com ela a falsa sensação de que temos mais tempo e uma pressão para fazer cursos, ler livros, assistir lives…

Meu conselho é: Chega. Pare. Basta. Haha

A ansiedade é um elemento que está se tornando cada vez mais parte do nosso modelo mental e isto está muuuuito longe de ser o ideal. A análise do processo é simples:

  1. Você se sente ansiosa(o) para usar todo o seu tempo livre sendo produtiva(o) e se desenvolvendo.
  2. Se inscreve e consome um monte de conteúdo, às vezes até sem terminar.
  3. Fica com um sentimento ruim, porque não usa nada do que aprendeu.
  4. Independente da etapa tem o sentimento de FOMO (Fear Of Missing Out, medo de estar perdendo algo)

Pronto, receita da tragédia… Mas brincadeiras a parte, esse consumo desenfreado de informações gera um sentimento de estagnação, mesmo consumindo conteúdo. Pode parecer clichê, mas se a gente não sabe pra onde tá indo, qualquer caminho serve (já diria Lewis Carroll) e a melhor bússola para apontar esse caminho é na realidade o primeiro passo do desenvolvimento.

#2: Autoconhecimento: tudo pra nós :thought_balloon:

O autoconhecimento é um safadinho, um pirilampo, pois a vida tá indo, as coisas começam a dar errado e quando você vê ele tá lá, pronto para te dar uma rasteira ou um tapa na cara. haha

Esse é o meu jeitinho de dizer, que independente do que você faça, autoconhecimento sempre será importante e sempre vai te ajudar a entender quais são suas dores e como endereçá-las. Quando você tira um tempinho para se observar, pode perceber quais são os pontos que precisam de um olhar mais atento, te ajudando a direcionar seus esforços. Antes de saber como se desenvolver, é importante entender o porquê você quer aprender/melhorar tal habilidade. Já ouviram falar do Golden Circle que fala que devemos sempre começar sabendo o porquê > como > o que fazer quando queremos alcançar objetivos? É basicamente isso. PS: fica a recomendação desse TEDx incrível pra quem quiser ver hehe. Então primeiro passo antes de tudo: entender seus porquês. Fazer perguntas pra si como “o que quero pro futuro próximo? que tipo de aprendizado me energiza? no que quero apostar de acordo com meu momento de vida?” é super importante pra definir o que você quer aprender.

#3: À procura de oportunidades! :mag_right:

Sabendo o que você realmente quer, é hora de começar a procurar as oportunidades de fato. E queria falar que oportunidade não é só fazer um curso, belê? Se conhecendo e conhecendo seus estilos de aprendizagem, você consegue entender melhor o que podem ser essas oportunidades pra você.

Meu estilo de aprendizagem tem muito a ver com ter conversas profundas com pessoas que considero referência nas habilidades, então sempre foco em fazer isso quando quero desenvolver algo - além de ter bastante prática também pra treinar as habilidades que tô focando, sou viciado em fazer cursos. Isso é o que melhor funciona pra mim, mas tem várias outros tipos de oportunidades: fazer um curso, consumir conteúdo online gratuito sobre o tema, ouvir um podcast, praticar a habilidade que você quer desenvolver e preparar mini-aulas sobre o tema que você tá aprendendo.

Bom, é isso que quis trazer sobre o tema de por onde começar o desenvolvimento pessoal e profissional! E queria me disponibilizar também pra trocar ideia/tirar dúvidas aqui no tópico sobre o tema (sou bem apaixonado, então fiquem real a vontade pra perguntar o que quiserem e vamos papeando! hehe).

Tô curioso pra saber: como funciona o processo de desenvolvimento de cada um de vocês? :)

Enfim, tô por aqui! Abraço e se cuidem! :smile:

comu

31 Likes

Você me definiu TODINHA nesse #1 !!
Sério, estou super perdidassa. E estou com a sensação de que nada fiz de útil! :pensive:
Não consigo estabelecer uma rotina e tal… Tá complicado.

Mas amei super o tópico!

2 Likes

Oiee @talli.ccosta! Esse ponto da rotina está sendo um desafio geral!
Teve um dia que eu me programei mentalmente para fazer alguma atividade física em casa, quando vi já eram 20h e eu tava vidrado no pc ainda haha (rindo de nervoso :sweat_smile:) Estamos juntos nessa! Aliás, esse já daria um ótimo tópico para discutirmos mais profundamente né?
Um primeiro passo para esse autoconhecimento de pandemia pode ser entender o que te energiza durante o dia e o que te esgota. Eu particularmente evito ler notícias durante o dia, me faz muito mal e fico sem ânimo :cold_sweat:. A @carol.souza sei muito bem que ama trabalhar com um sol quentinho entrando pela janela, produtividade fica à mil :star_struck:
Essas pequenas coisinhas ajudam a melhorar um pouquinho sua qualidade de vida e até apreciar as pequenas coisas como uma pausa para tomar um cafézinho da tarde :blush:
E o de sempre, se hidrate :potable_water:, coloque limite para ficar na frente do computador e de carinho para as pessoas importantes na sua vida :heart:
Espero que alguma dessas ideias ressoe para você e vamos juntos entender como passar esse momento da maneira mais leve possível!

3 Likes

Olá, então tudo que vc disse neste texto é um fato na quarentena que estou vivendo, eu amo :heart_eyes: aprender, mas infelizmente :neutral_face: eu sou do tipo que aprende colocando a mão na massa. Eu fiz um curso nessa quarentena, tirei bastante proveito, mas no momento não tenho como aplica-lo, e isso vai frustando. Mas como vc mesmo disse e vou seguir o conselho, vou me fazer os “porquês” dos quais necessito de resposta e usar como linha de partida, inclusive um deles é por que me falta criatividade para inovar… Obrigada e até mais.

4 Likes

Eu tenho tentado estabelecer uma rotina. Algo q me motive. Gosto muito de escrever (e até eacrevia pra uma colunq de economia). E, em meio a esta loucura da pandemia, meu computador deu pane e não tive mais como escrever, fazer meus cursos, meus artigos e interagir. Enfim.
O fato é que tive a ideia de “escrever pra câmera” e aderi aos movimentos de live. E nessa tentativa ďe fugir do vazio do isolamento, irei promever uma série de lives falando sobre Economia e assuntos relacionados, uma espécie de “Café com economia”, e já realizei alguns convites a amigos de diversas areas do conhecimento pra levarmos um papo Sério, informativo, mas de forma leve e menos técnica q a ciência geralmente cobra. Temos q otimizar o tempo e as redes sociais q temos :slight_smile:

2 Likes

Muito bom o texto, essa é uma reflexão que me fiz nos primeiros momentos de quarentena, produzir ou não produzir, estudar ou não estudar estou perdendo ou melhorando minha saúde mental e objetivos. Hoje já sei bem os meus objetivos e já consegui definir caminhos que não exigem de mais da minha mente e mesmo assim me levam ao que desejo, como faço múltiplas atividades no meu trabalho, em meus estudos prefiro fazer uma coisa de cada vez me dedicando exclusivamente aquele objetivo até concluir o mesmo, como um livro sabe, primeiro a gente lê, entende o contexto, reflete e então passa para o próximo. Mas tudo isso dando aquela controlada na saúde mental, que sem ela não chegamos a lugar algum :laughing:

1 Like

Haha, muito obrigado por esse: Chega. Pare. Basta. :black_heart:

Definitivamente a sensação de estar perdendo algo é horrível, ver as pessoas atualizando certificações, cursos e postando as 1000 coisas que fizeram no linkedin, parecem que estão focadas 100% do tempo em desenvolvimento e não tem o restante da vida pra tocar.

No começo da pandemia tentei fazer todos os cursos rápidos, workshops, e participar de todas as lives que convidavam, hoje, escolhi priorizar os cursos um pouco mais longos e que vão me engajando aos poucos, a taxa de sucesso (finalização) tem aumentado pra mim e sinto que esse tipo de conteúdo acabe me agregando mais. :facepunch:t6: :wink:

2 Likes

oi @victor.sarti, tudo bem? Espero que sim.
Muito legal esse seu tópico, realmente a gente tem que ter um momento de introspecção para nos entender melhor e saber qual caminho seguir durante inúmeros caminhos que nos são apresentados. Tendo a tão chamada resiliência, agindo conforme o seu próprio ritmo, pois nesse momento em que vivemos somos bombardeados diariamente com informações que nos provocam o sentimento de improdutividade, ansiedade e medo. O que comigo funcionou foi fazer e colocar um cronograma mensal com as atividades que devo fazer na parede do meu quarto e ir conforme o meu próprio ritmo, trilhando o meu desenvolvimento pessoal, colocando pequenas metas e assim aumentando com o passar do tempo e tendo muita paciência que minha hora no mercado de trabalho vai chegar.
Abraço!!

2 Likes

Olá, boa tarde!
Leitura muito interessante.
Acho interessante como os processos são próprios do indivíduo e do meio onde o mesmo está inserido, algo que acaba sendo fomentado pela introdução que é proposta no “Manifesto 55” presente no link do “#3: À procura de oportunidades!”.
Por mais que conseguimos tirar um “diagnóstico prévio” a partir de testes, é importante sempre salientar o cuidado a projeção existencialista de um ser com características sociais comuns e minoritária.

2 Likes

Bom vou compartilhar com vocês um pouco da minha experiência referente a essas três dicas, nas quais eu tive que usar minhas armas para poder ter um desenvolvimento de onde começar.

O primeiro passo foi confiar em mim e nas minhas apostas, quando falo em apostas me refiro ao nicho que escolhi seguir “moda praia masculina” que foge totalmente da minha graduação. Não sabia por onde começar, mais sabia que precisava começar!

1 Like