Faculdade, quarentena, EAD e saúde mental!

E aí, Comuna, como vocês estão?

Bom, quis puxar esse tópico porque quero muito ouvir vocês sobre o que tem acontecido na realidade universitária de vcs e sobre como vocês tem enfrentado esse momento! Como bom canceriano lá vem textão contando minha história, por isso se vc quiser parar por aqui e só ir nos comentários falar da sua realidade, fica tranquila/o que tá tudo bem :wink:

(tempo de leitura 2min 30seg)

Sabe, talvez seja muito comprometedor eu falar sobre vulnerabilidade num espaço tão exposto como esse, mas eu sempre acho que a vulnerabilidade é um lugar de encontros genuínos e resolvi correr o risco… E aí, vem comigo nessa?

Sou aluno de Graduação em Geografia (Bacharelado) na UFPR - Universidade Federal do Paraná e esse era pra ser o meu último ano (verdadeiramente o último, porque tecnicamente eu já to cursando o último ano faz 4 anos, hehehe). Tava super animado pra ter outro diploma além de teologia (sim, eu sou teólogo e se vc quiser posso orar por você, hahaha), mas daí, como bem disse a musa Card B:

“Coronavirus, shit is real
Shit is getting real.”

Depois de várias discussões no Conselho Universitário e com uma atuação exemplar dos Centros Acadêmicos da minha Universidade (eles fizeram levantamentos em tempo recorde, com dados precisos que comprovavam que o ensino EAD só aumentaria a desigualdade e exclusão de diversas/os alunas/os que não tem computador em casa, ou acesso a internet e que seriam injustamente reprovados) conseguimos fazer com que as aulas presenciais fossem suspensas, o calendário do vestibular fosse adiado e que os professores aceitassem remanejar planejamento de férias apenas após o fim da pandemia para conseguirmos finalizar o semestre.

O lance é que com isso veio uma notícia: TCC’s, TFG’s, Estágios Obrigatórios e Atividades Complementares poderiam continuar acontecendo EAD se houvesse acordo entre docente orientador e discente. Bom, meu orientador e eu conversamos e decidimos que eu continuaria com a parte teórica (leituras, discussão da metodologia, etc) EAD pra ir adiantando.

Primeira semana: uhul ok, segunda semana: éh, ok, terceira semana: okzinho, quarta semana: choro e ranger de dentes, daí em diante é só ladeira abaixo! Meu quarto tá uma bagunça de livros e cadernos, minha cama não lembra o que é estar arrumada faz um bom tempo e eu simplesmente não consigo render mais (tanto que agora são 06:14 da manhã no horário de Brasília-São Paulo e eu to aqui na comuna abrindo meu coração depois de ter virado a noite lendo um total imenso de 15 páginas de C.G. Jung pro referencial teórico).

Queria só dizer pra vocês que não estamos numa competição pra ver quem rende mais e melhor, estamos numa pandemia e que tá tudo bem se você não estiver conseguindo ser “tão útil quanto esperava”. No fim das contas a humanidade inteira está se (re)aprendendo. :reminder_ribbon:

Fala aqui pra gente onde você estuda, que curso faz e como sua faculdade tá se ajustando a esse novo momento e como tá sendo pra vc e pra sua saúde mental :innocent:

9 Likes

Bom dia @bob.luizbotelho, me chamo Lucas e sou estudante do curso de Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Oeste da Bahia no Centro Multidisciplinar de Bom Jesus da Lapa.
Essa pandemia deu uma “rasteira” na gente. As aulas foram suspensas no início do semestre, e com isso muitos estudantes foram para suas cidades. Eu mesmo estou na minha cidade, Formosa do Rio Preto/BA, e no momento a universidade está fazendo um levantamento da situação dos discentes. Muitos são estudantes de baixa renda e beneficiários do auxílio estudantil, inclusive eu.
Atualmente estou fazendo parte de uma comissão para ver alternativas de atividades remotas (aceito ideias e sugestões :wink:) que possam ser executadas durante essa quarentena. Uma alternativa até o momento, é fazer minicursos, para que os estudantes ainda mantenham um vinculo com a universidade.
Essa semana, eu e mais um grupo de colegas juntamente com um professor, fizemos uma videoconferência pela plataforma do Google Meet, e foi bem legal, no entanto, nem todos tem acesso a uma boa conexão com a internet, e muitos não participaram ou a conexão caía durante a videochamada.
Outro problema, é a falta de interesse ou desmotivação dos estudantes a cada dia que passa, e como driblar isso.
Com relação a minha saúde mental, estou bem mas acredito que muitos não estão.
Espero ter contribuído com o meu depoimento e vamos juntos sair dessa!
Um abraço!
#fiqueemcasa

6 Likes

E aí @bob.luizbotelho, tudo bem?
Eu estava mega ansiosa em começar minha segunda graduação em Engenharia de Produção, como meu certificado de conclusão saiu apenas em março, demorei a de fato me matricular, e ainda fazer a isenção de matérias… Enfim, resultado: na semana seguinte começou a quarentena aqui no Rio… Uma semana sem aula, até que a Estácio decidiu deixar tudo online. Ai veio aquilo “como isso vai funcionar, o teams vai dar certo, ainda não me colocaram numa equipe, como verei as aulas”… De repente a super motivação e ansiedade de começar a segunda graduação estava se tornando medo “será que fiz a escolha certa em começar logo agora outra graduação?”
O tempo passando, eu deixei de lado uns cursos que estava fazendo, não via motivação… foi o momento que posso dizer que minha saúde mental estava pedindo socorro, mas, depois da tempestade sempre sai o sol né? Ahhahaha Me adaptei a realidade, as aulas eu vi que estava entendendo bem, os trabalhos também fluíam bem, só não dava pra rever as aulas. Infelizmente tem o outro lado, o professor comentava que tinham mais de 60 alunos na turma, nas aulas sempre apareciam uma média de 30… Como ficava isso então? Seria um semestre perdido para eles? Realmente isso pode ser uma falta de interesse (a Estácio já tinha matérias totalmente EAD, nessas o conteúdo não é ao vivo e a prova é direto no sistema o que fez com que muitos não ligassem e só foram procurar pela resposta na internet), ou de fato não tinham um bom acesso a internet (quanto ao horário das aulas, era no mesmo horário da aula no campus).
Voltei a fazer vários cursos interessantes também, o que me ajudou também foi entrar em contato com outros universitários, passar dicas, receber dicas, falar sobre processos seletivos e como se preparar ou simplesmente fazer vídeo chamada pra treinar um novo idioma. Simplesmente algo para desconectar da pandemia, pra ser produtiva, sentir que não estamos passando por isso sozinhos até…
Sobre minha saúde mental agora: ela não pede mais socorro hahahah
Ainda estou trabalhando no ponto de arrumar minha cama :grimacing:

6 Likes

Opa @bob.luizbotelho ! Eu sou Medson, curso Engenharia Civil na UFPE. Assim que anunciaram a quarentena e a propagação do Covid-19, a uf se pronunciou que não iria aderir EAD de forma alguma, pois por volta de 35% do alunos da ufpe são de baixa renda e assim foi visto que não teriam condições mínimas para assistir aula EAD. Então o calendário acadêmico foi suspenso por período indeterminado, e acredito que quando tudo isso passar teremos aulas nos sábados e nada de férias, pra conseguimos adequar todo o calendário kkkk mas é o melhor a se fazer no momento pois devemos ter empatia com aqueles que não têm as mesmas condições e podem se adaptar a essa realidade EAD.

Enfim, e sobre como eu tô enfrentando esse momento de quarentena… kkkkkk tá complicado, tentando ser produtivo e estudar algo pra não ficar de tudo parado e não perder o ritmo, mas tá difícil!! Tô vivendo de vales e picos de animo e rendimento, tem semanas que tenho gás total pra estudar, já outras só quero ficar deitado passando o dia todo assistindo Netflix.

Em relação à minha saúde mental, estou bem, mas tentando não pensar muito nessa situação de não saber quando tudo vai passar ,pra não me causa tanta pilha, e só vivendo um dia após o outro mesmo!

Espero que todos por aí também estejam bem!!
Abraço

8 Likes

Poxa, @lucas.ribeiro, obrigado pela partilha e pela troca… De fato são desafios para os quais não estávamos preparados… Muito legal isso da comissão e de você estar fazendo parte, viu?! Faz toda a diferença quando a estrutura da universidade é preocupada com a permanência estudantil! Seguimos :reminder_ribbon:

3 Likes

Poxaaaa, @Isa_duca, que desafiador tudo isso… Mas fico feliz que você tenha encontrado pontos de equilíbrio em meio a tudo isso! Faz todo sentido e é muito importante pra manter a saúde mental!! Eu tenho descoberto metodologias ativas também que tem ajudado muuuuuuuuuito!!! Força aí :reminder_ribbon:

3 Likes

Valeu demais pela troca e pela contribuição @Medson… Poxaaaa, muito legal esse posicionamento da UFPE… Infelizmente na UFPR não foi assim… Teve que ter uma grande mobilização dentro do movimento estudantil para explicar para os professores que realizar EaD é reforçar desigualdades!! Também sigo nos desafios da produtividade, vamo que vamo :reminder_ribbon:

3 Likes

Boa tarde!
Apesar de eu já ser formada (amém grazadeus, porque eu ia passar um perrengue MUITO grande devido à minha deficiência auditiva), eu amei duas coisas: esse tópico e essa sua citação:

Sério, são tempos MUITO difíceis. Apesar de não fazer nenhum EAD, eu optei em fazer cursos online e gratuitos para poder estudar alguma coisa, adquirir mais conhecimento e enriquecer o currículo, porém… Eu desanimo demais e tô enlouquecendo porque não consigo manter uma rotina e fico com a sensação de que estou perdendo tempo! Isso tá me custando ânimo para prosseguir…
E fico vendo esse povo obtendo certificado de tudo… kkkkkk rindo de nervoso

Alguma dica? :tired_face:

2 Likes

Hey, @talli.ccosta poxaaaa, que bom nos sentirmos próximos nesse momento… É sempre um desafio né?!

Confesso que eu também to maluco com as coisas que tem acontecido, as demandas que eu não cumpro e as entregas que não faço!!! Eu tenho só tentado não me cobrar e não me comprar e isso já é muito difícil, sabe?? Eu tento, tento, mas vez ou outra viro a noite chorando!!

Não consigo pensar em uma dica prática para obter rotina, mas eu tenho tentado planilhar tudo o que faço, estabelecer pequenas metas que são mais alcançáveis (a meta “fazer TCC” eu transformo em pequenas metas como “ler mais artigo de referencial teórico” ou “escrever dois parágrafos sobre como tal autor me ajuda com minha pesquisa”) e daí eu celebro cada sucesso que eu obtenho…

Enfim, to tentando lidar com os desafios todos, mas sigo alimentando a esperança de que uma hora isso tudo vai passar!!!

2 Likes

@bob.luizbotelho sempre abrindo o coração pra gente :heart:

Eu já saí da faculdade, mas tenho contato com muita gente que ainda tá e vejo que as dificuldades são bem parecidas, Bob. Falando por mim e olhando pra relação com o trabalho, eu percebi que pra mim muita coisa tinha a ver com focar na saúde mental. No começo da pandemia eu me sentia super cansada/improdutiva/sem energia e rolou muita procrastinação e cama desarrumada hahah. E dai eu fui tentando identificar que que me energizava e o que me fazia ficar mais pra baixo. Literalmente, sabe? Nas pequenas ações do dia. Percebi que se eu acordava tarde, ficava mais frustrada (porque gosto de acordar de manhã). Se eu consumia muita notícia, ficava horas vendo feed das redes sociais e não me fazia bem também.

Dai estabeleci uma rotina de quarentena que tem me ajudado, colocando limite pro tempo que fico nas redes sociais, garantindo que tô me alimentando bem/cozinhando o máximo em casa possível e fazendo exercício mesmo que seja o que dá pra fazer dentro de casa. É um jeito de segurar a barra que tá funcionando pra mim - com seus dias melhores e outros nem tão bons.

Ah, uma coisa que sempre me deixa mais ‘‘pra cima’’ também é ouvir as reflexões do Emicida hahaha sério, ele tem feito uns projetos muito legais e o último, que chama Prisma me traz uma baita serenidade. Recomendo :smiling_face_with_three_hearts:

2 Likes

É meu jeitinho :tipping_hand_man:t3:… hahahaha acredito realmente que a vulnerabilidade é um lugar de encontro!!

Meoooo, que dicas ótimas!!! Simmm, esse lance de estabelecer rotina é fundamental!!! Eu também tenho estabelecido… As coisas grandes eu to dividindo em várias pequenas coisas alcançáveis, sabe? Daí eu celebro cada vitória!

Sobre o Emicida, SIMMMM, apenas SIMMMM!!! Ele é incrível e com certeza é um alimento potente e necessário nesse momento em que a gente vive!!!

Gratidão pela troca!

3 Likes