Voz ativa das mulheres

Vim compartilhar um assunto voltado à voz ativa das mulheres.
Meninas, já passaram por alguma situação que não se sentiram ouvidas, ou até mesmo desvalorizadas? Como lidaram com isso?
Meninos, e na visão de vocês, essa situação é realmente comum?
O que eu penso sobre isso:
Já passei por algumas situações que pra mim foram super desconfortáveis como não ser de fato valorizada no estágio, ou não poder argumentar e até mesmo algumas piadas bem machistas (estava na área de construção), por outro lado, foi uma situação em que pude notar tipo, “opa, isso existe mesmo, e eu não acredito que eu tô passando por isso, o que farei?”… Senti que tive que fazer o dobro do esforço, mostrar que tenho o conhecimento ou até mais conhecimento do que esperavam, o que no fundo é algo bom, mas ainda esbarra no ponto: porque precisa existir essa diferença?
É incrível ver que empresas hoje em dia já têm ações para igualar salários, contratar mais mulheres, mas outras ainda parecem atrasadas nesse ponto (minha visao apenas e gostaria de ler a opinião de vocês também).
Enfim, creio ser um assunto interessante de discutir e até outros grupos de pessoas poderem falar suas experiências pessoais.

16 Likes

Meninas, @Isa_duca @juliaishimi organizei aqui um tópico bonitinho pra gente papear melhor sobre o tema, bora lá?

4 Likes

Excelente tópico!

3 Likes

Essa realidade muitas vezes passa despercebida mas não podemos mais aceitar que sejamos consideradas cidadãs de segunda classe.

4 Likes

Bom dia Isa, tudo bom?
Legal seu post, eu estou pesquisando sobre Mulheres na Construção Civil, se você puder me dar umas informações eu ficaria muito feliz.

3 Likes

Show @laura.morais, obrigada

2 Likes

Coincidentemente ontem mesmo na ONG que faço parte estávamos falando de uma mulher que faz parte atualmente do grupo de apoio da ONG, mestre de obra e tem uma equipe só de mulheres, muito incrível, dá uma lida: https://seconci-rio.com.br/wp/mulheres-a-obra-cresce-o-numero-de-mulheres-na-construcao-civil/

Sobre minha experiência pessoal:
Eu realmente notei que levou uns meses até eu realmente sentir que estavam me passando tarefas realmente úteis, e não algo do tipo “fica aí e observa”. Teve uma vez que o engenheiro estava em outra obra e pediu pra eu repassar as tarefas ao pessoal, só que um deles não aceitou, como um “essa estagiária me dando ordem?”, foi um dos momentos que eu notei que algo tava errado. Mas também teve algo que notei do outro engenheiro, ele mesmo falava que preferia mulheres como estagiárias por serem mais atentas, detalhistas, cuidadosas, pq era algo que precisava ter em mente na hora de receber material, conferir, ver o acabamento da obra. Outro ponto é algo que já comentei com colegas de classe, por mais que a turma de engenharia esteja com maior número de mulheres, quando vemos a quantidade que conseguiu um estágio (voltado a obra) a maioria ainda é masculina, é algo que precisa ser mudado.

6 Likes

Muito obrigado, vou dar uma olhada!

3 Likes

@Isa_duca , otimo assunto!!
Eu tenho uma história que vivi no meu primeiro estágio. Toda a minha experiência profissional, até hoje, foi em empresas industriais e por coincidência, todos os meus cargos eram ligados a estar na fábrica ou atuar diretamente com áreas das fábricas! Eu sempre adorei poder fazer isso, mas no início as pessoas não me respeitavam, diziam que fábrica não era coisa de mulher, não me ouviam, não levavam minhas ideias a sério… precisei de quase um ano pra conquistar o meu lugar e fazer as pessoas me respeitarem e me aceitarem pela mulher profissional que sou! Desde então, tenho uma frase que sempre tenho na mente: “ lugar de mulher é onde ela quiser!” :woman:t2:

7 Likes

Excelente tópico! Fui criada no Pará onde o machismo nunca me pareceu tão estrutural quanto é em Minas Gerais, onde nasci e moro atualmente. Acredito que na verdade, o Brasil é muito machista. Passei por situação constrangedora no estágio também.
Mas um dado q me assustou muito foi o aumento no número de casos de violência doméstica durante a pandemia. Entendo a violência doméstica como o lado mais extremo do machismo. Discutir e entender o problema faz parte de tentar uma solução.
É legal ver que por exemplo o trabalhos como o da primeira-ministra da Nova Zelândia. Que com firmeza e empatia está fazendo um excelente trabalho nessa pandemia. E olha q coisa, “empatia”, uma das skills que os especialistas falam ser tão demanda nas empresas.

8 Likes

Olá Isa, muito obrigada por compartilhar conosco :+1:

4 Likes

Super concordo com sua opinião também, vejo o Brasil ainda muito machista, tenho inclusive familiares que dizem frases machistas com uma naturalidade horrível, tenho um ex que era mega autoritário, fazia uma pressão psicológica absurda em mim…
Já fiz intercâmbio de 6 meses no Chile em 2017 e essa foi a primeira vez que posso dizer que estive com mulheres que de fato falavam sobre esse tema, inclusive na época em que eu estava lá pude ver protestos pacíficos sobre empoderamento feminino, as amigas que fiz me chamavam pra ir, na faculdade que estive, como mulheres na engenharia eram a minoria, teve um dia de café da manhã apenas para as mulheres da engenharia com sorteios também. São coisas que ainda não pude ver aqui entende? Não tive esse contato ou até palestras sobre esse tema na faculdade ou até mesmo com colegas de turma e sinto falta disso, acho sim que em vários pontos também necessita uma melhora do sistema como um todo, parar de naturalizar esse machismo enraizado
E adorei a colocação da @Rayanellvr e pretendo levar pra minha vida que “lugar de mulher é onde ela quiser” :clap:

7 Likes

Olá meninas :slight_smile:

Isa_duca esse tema é essencial !!

O machismo estrutural mata e isso precisa ser debatido.

Quais leituras você nos recomendaria para entender mais sobre esse tema ?

5 Likes

Oi @SandyAquino
Infelizmente não sei quais livros indicar, pois ainda não li um livro voltado a esse tema (por mais que ame ler e tenha alguns em mente para ler sobre feminismo), então se alguém também puder me indicar eu adoraria.
Mas eu posso te dizer alguns vídeos abordando um pouco mais o tema, dois deles são de uma mulher que super admiro, super voltada ao tema do feminismo, o nome dela é Chimamanda Ngozi Adichie (inclusive é uma escritora, sobre os livros que quero ler, são dela hahaha)
We should all be feminists
Nesse primeiro é uma palestra dela falando sobre algumas situações em que ela estava sendo feminista e os estereótipos que muitos ainda tem sobre ser feminista. O vídeo é em inglês, mas dá pra colocar legenda em português.

Chimamanda responde
Esse segundo também é com ela, respondendo comentários contrários ao feminismo

The mask of masculinity
Esse terceiro, uma palestra abordando “a máscara da masculinidade”, sobre homens desde jovens naturalizando frases como “vira homem” ou “isso não é coisa de homem” e o quanto isso pode ser prejudicial num todo.

5 Likes

massa @Isa_duca já ouvir falar sobre Chimamanda Ngozi Adichie.

Minha namorada tem o livro para educar crianças feministas. Assim que eu terminar o que eu tou lendo agora, vou pedi emprestado rs

Assistirei os vídeos com calma e volto aqui depois, pra gente conversar
abraços

4 Likes

@SandyAquino eu tô lendo um livro que tô curtindo muito. Chama ‘‘Calibã e a Bruxa’’ (esse aqui) que fala sobre sobre algumas questões históricas (principalmente o período da caça às bruxas) a partir da perspectiva feminista. É bem denso, mas tô curtindo muito :)

5 Likes

Olá meninas, eu não conhecia de frente tamanho machismo até ficar grávida. O que mais escuto é “Vai trabalhar e seu filho? Tadinho do seu filho!” Detalhe ele tem 3 aninhos e engravidei com 31… É um ABSURDO a cobrança sobre uma mãe! E o pai? NADA! É + um que cobra. Costumo dizer que.mães são excelentes em serem contratadas. Aprendemos na raça a fazer mta coisa, em pouco tempo e ainda super controle emocional, reorganizar agendas… Me dê 15 minutos que levanto um prédio se quiser… kkkkk

7 Likes

Obrigada pela indicação :kissing_heart:

4 Likes

que massa @carol.souza, livros densos são importantes. Devido as novas tecnologia e a maneira que nossa geração tem lidado com o tempo as vezes nos afasta desse tipo de leitura.

Sílvio Meira fala um pouco sobre isso nessa mesa https://youtu.be/Q80fskHXDUs.

Boa leitura, nem posso prometer lê o que vc recomendou agora, mas ta registrado. E é o 3 da lista que tenho aqui rs.

  • O Quilombismo ( que tou lendo agora )
  • Para Educar crianças Feminista (uma colega aqui na comunidade me indicou a autora.)
  • Calibã e a Bruxa ( será que tem gratuito ?rs)
4 Likes

@Isa_duca acabei de assistir o primeiro vídeo.

É super interessante como ela aborda o tema de maneira leve e nos esclarece . Nos conduz a sair da nossa limitada visão de mundo. É difícil pra mim entender e ressignificar as coisas erradas que aprendi sistematicamente do que é ser homem, mas com certeza é muito mais difícil viver nesse mundo machista.

Tou longe de ser um homem não machista, mas tenho buscado me informar constantemente, mudando aos poucos, me policiando.

Quando ela contou o caso do amigo me veio na hora a lembrança das diversas conversas que tenho com minha namorada sobre esses temas essenciais, isso tem tornado nossa relação cada vez mais ampla, isso é bom pra relação, rs.

assistirei o próximo assim que possível e volto aqui.

abraços <3

4 Likes